Uma das modalidades operacionais mais polêmicas e notadas do radioamadorismo, a comunicação de emergência, é, ao mesmo tempo, a prática do serviço à coletividade e a ocasião em que o radioamador conquista o respeito e a consideração (ou não!..) da sociedade. Para que aconteça o melhor, é preciso estar preparado.

Todo radioamador, seja qual for a sua classe, deve ter presente que, cedo ou tarde, sua estação pode vir a tornar-se (por algum tempo) o único meio de comunicação disponível entre um evento de emergência e o restante do mundo. Apesar do avanço tecnológico e da autonomia dos serviços normais de comunicação, muitas têm sido as ocasiões de falha dos mesmos – por motivos acidentais ou falta de condição operacional – nos locais mais improváveis. É bom lembrar que as emergências não tem hora nem local certo e ocorrem sem aviso prévio, surpreendendo operadores carentes de preparo e de articulação. Duas precauções são imprescindíveis, para uma boa operação de emergência: manter uma estação plenamente operacional, bem como manter-se atualizado e integrado a redes de radioamadores. Em suma, os melhores equipamentos de nada servem, se os operadores não forem capacitados a opera-los em condições de pressão ou em caráter de emergência.

Supor que um comunicado normal seja idêntico ao tráfego emergencial pode configurar um tremendo fracasso, além de arruinar qualquer operação do gênero. Na verdade, pode-se dizer que existem mais equipamentos apropriados a tal tipo de operação do que operadores capacitados para esse fim. Isso exige uma atitude de abertura, da parte de novos e antigos operadores, aceitando que todos temos muito que aprender.

Assim, nota-se que só há um modo de se conquistar o domínio do procedimento de emergência em rádio: INSTRUÇÃO e PRÁTICA. Afinal, durante um evento desse tipo, jamais se dispões de tempo para treinar…

Os itens ao lado contem informações aos radioamadores interessados no assunto, com o intuito de compartilhar experiências e técnicas, sem a pretensão de doutrinar. Também quer ser útil a todos os envolvidos em atividades ligadas à defesa civil, à segurança pública e outros serviços, bem como a toda e qualquer pessoa interessada no assunto.

Para baixar o Guia de Telecomunicações de Emergência da IARU clique AQUI.

Para acessar o GUIA OPERACIONAL DE RÁDIO EMERGÊNCIA clique AQUI.

Guia operacional de rádio emergência

Elaboração:

Dirceu C. Cavalcanti – PY5IP

J. Olímpio – PY5AY (SK)

Guia Operacional de Rádio Emergência

Escola Paranaense de Radioamadorismo