Guglielmo Marconi

25.04.1874 à 19.06.1937

Guglielmo Marconi nasceu na cidade de Bolonha, no dia 25 de abril de 1874, filho de Giuseppe Marconi e de Annie Jameson, de nacionalidade inglesa e descendente de irlandeses.

Em 1880 estudou em Florença, no Instituto Cavallero, em via delle Terme. Era um menino solitário e esquisito que não conseguia fazer muitas amizades.

Em 1885 freqüentou uma escola na cidade de Livorno. Seu interesse foi despertado pelas obras de Franklin, Volta, Galvani, Maxwell e Hertz. Ao invés de brincar, passava seu tempo construindo pequenos aparelhos.

De 1887 à 1889 estudou, com dois professores particulares, física e eletromagnetismo. Foi influenciado, também, pela obra do físico italiano Calzecchi-Onesti.

Em 1890 voltou para Villa del Grifone, em Pontecchio, perto de Bolonha, onde os pais haviam passado a morar, recusando-se a continuar os estudos e a freqüentar um liceu.

Passava seu tempo pescando, lendo e realizando pequenas experiências científicas sem muita importância. Viveu um caso amoroso, breve e sem conseqüências, com uma sua prima inglesa, Daisy Prescott.

Em 1893 construiu, por brincadeira, uma campainha que tocava a cada relâmpago no céu. Conheceu Augusto Righi, grande físico italiano, inventor do coherer. Righi o protegeu e o encaminhou a experiências mais sérias.

Em 1894 passou um breve período de férias, juntamente com o irmão Luigi, numa estação climática do Biellese, nos Alpes. Nessa cidade leu um dos últimos artigos de Hertz. Voltou para casa, recomeçando a estudar e pesquisar a transmissão a distância de ondas eletromagnéticas.

Em 1895, no mês de setembro, realizou sua primeira experiência , entre a janela do sótão onde havia montado seu laboratório, e um aparelho receptor colocado a breve distância, no campo. Nos dias seguintes repetiu a experiência, com sucesso, dessa vez deixando uma colina como obstáculo às ondas hertzianas. Aplicou antenas aos aparelhos de transmissão e de recepção, descobrindo, assim, o acessório básico da radiotelegrafia. Obteve a patente de nº. 12.039. O governo italiano se recusou a ajudá-lo.

Em 1896, no mês de fevereiro, partiu para a Inglaterra, onde os parentes o apresentaram a sir William Preece, diretor dos Correios e Telégrafos. Realizou experiências no teto do Post Office e na planície de Salisbury, conseguindo uma transmissão de ondas a mais de 4 mil metros de distância.

Em 1897 fez uma ligação radiotelegráfica entre Pernarth e Weston, distantes 15 quilômetros. Fundou a Wireless Telegraph Co. Ltd. Foi convidado para realizar experiências na Itália, à presença do rei. Voltou para a Inglaterra no dia 7 de outubro.

Em 1898, no mês de junho, inaugurou o serviço telegráfico entre a ilha de Wight e Bournemouth, a 23 quilômetros de distância. Transmitiu por rádio os resultados das regatas de Kinston, ao jornal Daily Express de Dublin, com grande sucesso.

Em 1899 instalou seus aparelhos a bordo de muitos navios do Almirantado britânico e do governo italiano. Ligou o iate real, a bordo do qual viajava o futuro rei Eduardo VII, com a ilha de Wight.

Em 1900 descobriu e aperfeiçoou a sintonização dos aparelhos radiotelegráficos, obtendo, para isso, a patente nº. 7.777. Enfrentou uma grande campanha de difamação, organizada pelos donos das companhias de cabos transoceânicos.

Em 1901 transferiu-se para a Cornualha, onde, em Poldhu, dirigiu os trabalhos para a instalação de uma estação radiotelegráfica de grande potência. Realizou uma experiência, transmitindo a 300 quilômetros de distância, entre Cape Lizard, na Cornualha, e Santa Catarina, na ilha de Wight. No dia 17 de setembro uma grande tempestade atlântica derrubou as instalações de Poldhu, Ele reconstruiu a estação, de maneira mais simples e perfeita. No dia 16 de novembro partiu para a Ilha de Terra Nova, ao largo do Canadá; no dia 12 de dezembro efetuou a primeira transmissão transoceânica radiotelegráfica, provando que as ondas hertzianas podiam superar a curvatura terrestre.

Em 1902 ganhou um processo movido pelos donos das companhias telegráficas de cabos transoceânicos. Empreendeu novas viagens, voltando para a Inglaterra no mês de junho. Expansão rápida dos negócios. Começou a construção de uma estação radiotelegráfica em Glace Bay, no Canadá. Adaptou o telefone ao aparelho receptor radiotelegráfico. Estudou a estática e a interferência atmosférica. De volta à Europa, é recebido pelo rei da Itália, em Racconigi. Partiu, no dia 5 de novembro, para o Canadá, onde tentou estabelecer um contato radiotelegráfico auditivo entre a estação de Glace Bay e a de Poldhu, na Inglaterra.

No dia 19 de fevereiro de 1903 a experiência é coroada de êxito. Recebeu novas homenagens em todo o mundo.

Em 1904 viveu um caso amoroso com Josephine Holman. Fundou, em Nova York, a American Marconi Company. Novo caso amoroso, dessa vez com Inez Milholland. Em Londres, conheceu Beatriz Inchiquin O’Brien. Seu pedido de casamento é recusado pela jovem. Viajou para a Turquia e península balcânica.

Em 1905 falou-se em um seu noivado com Giacinta Ruspoli. No mês de fevereiro voltou para Londres e pediu novamente em casamento Beatriz Inchiquin O’Brien. Foi aceito. A cerimônia foi realizada no dia 16 de março, na Igreja de St. George. Voltou rapidamente a suas experiências e negócios.

Em 1906 nasceu sua primeira filha, Lúcia, que morre, todavia, poucos dias depois.

Em 1908 nasceu outra filha, chamada Degna.

Em 1909 os náufragos do navio inglês “Republic” são salvos mediante emprego de mensagens radiotelegráficas de socorro. Ganha o Prêmio Nobel de física.

Em 1910 nasceu seu único filho, Giulio.

Em 1911 inaugurou a estação de Coltano, perto de Pisa, na Itália. Num acidente de automóvel, perdeu seu olho direito.

Em 1912 a utilidade da radiotelegrafia é confirmada pelo salvamento de quase oitocentos náufragos do “Titanic”, um poderoso transatlântico, que viajava para Nova York em sua viagem inaugural. Continua as pesquisas e fortalece sua posição financeira.

Em 1914 é nomeado pelo rei da Itália senador.

Em 1915 participou com a patente de contra-almirante da Primeira Guerra Mundial.

Estudou o emprego de ondas curtas.

Em 1916 nasceu Gioia Jolanda, sua terceira filha.

Em 1919 fez parte da delegação italiana à Conferência de Paz, realizada em Paris. Comprou do Almirantado britânico um iate, “Elettra”, que o transformou em seu laboratório particular.

Em 1920, no dia 15 de junho, a Estação Marconi de Chelmsford, na Inglaterra, transmitiu o primeiro concerto musical da história, com a participação do soprano Nellie Melba. Agregou-se aos legionários de D’Annuzio, na ocupação revolucionária da cidade de Fiume, na Istria.

Em 1922 continua as pesquisas sobre as ondas curtas. Divergências com a esposa.

Em 1923 inscreveu-se no Partido Fascista italiano. Obteve a anulação de seu casamento com Beatriz Inchiquin O’Brien.

Em 1924 realizou experiências com as ondas curtas de 30 metros de comprimento, aperfeiçoando e potenciando ainda mais os aparelhos transmissores e receptores do rádio.

Em 1925 viveu um caso amoroso extravagante, com uma jovem de apenas 17 anos, certa Betty Painter.

Em 1927 casou com a condessa Maria Cristina Bezzi-Scala, de 26 anos de idade.

Em 1930, no dia 26 de março, iluminou da cidade de Gênova, na Itália, por rádio, o Palácio Municipal de Sydney, na Austrália, a 22.500 quilômetros de distância. No dia 21 de junho nasceu a única filha, de nome Elettra, de seu segundo casamento. No mês de setembro foi eleito membro da Academia Real da Itália. Foi nomeado, também, marquês.

No dia 12 de outubro de 1931, de Roma, iluminou, juntamente com o Papa, a estátua do Cristo Redentor do Rio de Janeiro, no morro do Corcovado.

Em 1933, na noite de 03 de outubro acendeu, com o mesmo sistema, todas as lâmpadas da Exposição Internacional de Chicago. Os americanos oficializaram o “Marconi Day” em sua homenagem. Inaugurou uma linha telegráfica entre o Vaticano e Castelgandolfo, residência de verão dos pontífices.

Em setembro de 1935 viajou para o Brasil, onde foi recebido de maneira calorosa. Por causa da chuva, ficou dois dias acamado. Inaugurou a Rádio Tupi. Recebeu o título de cidadão honorário de São Paulo. Foi acometido por um ataque de angina durante uma grande recepção no Teatro São Paulo, no bairro da Liberdade.

Em 1937 é nomeado membro do Grão-Conselho do Fascismo. Comprou uma casa em Roma, na via Condotti. No mês de março sofreu mais um grave ataque de angina pectoris. No dia 17 de junho visitou o Papa em Castelgandolfo. No dia 18 acompanhou a mulher e a filha até a estação, de onde os familiares partiram para a cidade de Viareggio. Ele ficou em Roma. No mesmo dia é acometido por mais um grave ataque, morrendo às 03:45 horas da manhã do dia 19.

Colaboração: IVAN DORNELES RODRIGUES – PY3IDR

Atenção: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Radioamador.