Imagine uma competição de DX que não requeira uma localização ao redor do Atlântico Norte para vencer na categoria mundo. Um concurso que dura 365 dias ao invés de 2 dias. Um concurso que não requeira uma super estação para ser um competidor sério. Uma competição onde a taxa de QSO ao invés de estar norteada em 200 por hora está em menos de 1 por dia. Este concurso é o CQ DX Marathon.

Muitos, senão a maioria, dos contesteiros sérios começaram operar em competições caçando DX. Ao longo dos anos, à medida que suas aptidões melhoraram, eles trabalharam a maioria dos países disponíveis. Nesse meio tempo eles conseguiram os cartões QSL e as confirmações para o DXCC e atingiram o Honor Roll.

Finalmente, com a maioria dos países no log e na parede, as novas conquistas se tornaram menores e menores. Para muitos, os concursos renovaram a excitação e adrenalina que os DXs ofereciam. Milhares de radioamadores dedicaram muito dos seus tempos na preparação para a excitação –  e exaustão – de umas poucas 48 horas dos concursos nos finais de semana.

Mas essas 48 horas não conseguem repor a satisfação oferecida pela caça ao DX. A satisfação de sintonizar uma banda aberta fora do período do concurso pode ser um vício para alguns de nós. Uma corujada antes de ir para cama, ou uma corrida nas bandas de manhã bem cedo junto com a primeira xícara de café, a antecipação de uma grande dx-pedição e a procura por aquele país raro e fugídio que nunca aparece nas 48 horas do concurso são alguns dos prazeres que se perdem. E para o operador competitivo existem motivos para ligar o rádio durante o meio da semana. Estas são algumas das compensações que a participação no CQ DX Marathon oferece. A Maratona oferece a você a chance de retornar às suas raízes.

E o que é a Maratona? Ela dura o ano inteiro começando no dia 01 de Janeiro às 00:00 UTC e termina no dia 31 de Dezembro às 23:59 UTC. Durante esse tempo, o objetivo é trabalhar tantos paíse e zonas CQ quanto possível. Pode ser utilizada qualquer banda e qualquer modo. Países bandas e zonas bandas não dão pontos extras – você pode creditar um país ou zona somente uma vez; não existem multiplicadores. Assim, um escore realmente bom pode ser algo como 330 – que é a soma de 290 países e 40 zonas trabalhadas. Note que é utilizada a lista de países da revista CQ, e a lista do concurso CQWW e não a lista do DXCC. Isto significa que contam todos os países do DXCC, mais alguns, incluindo Scily, Turquia Européia, ilhas Shetland, e as ilhas afro-italianas.

O Maratona tem diversos sabores. A classe Ilimitada permite operar com a máxima potência legal e não tem restrição de antenas. A classe Formula permite tanto a potência limitada a 100 watts e antenas simples, ou a potência máxima de 10 watts mas permitindo o uso de antenas yagis numa única torre com no máximo 20 metros de altura. Igualmente, não existem categorias para banda única ou modo único. É permitido o uso de spots em rede ou através de recursos da internet.

O DX Marathon teve início logo após o término da 2ª Guerra Mundial e foi bastante popular, mas teve que ser suspenso devido as limitações em favor do concurso CQWW. Àquela época não existiam voluntários para o gerenciamento dos concursos cujas atividades eram exercedidas pelo pessoal da administração da revista CQ. O Maratona foi revivido em 2006. Desde então, o vencedor do Marathona foram 2 vezes por Ohio, uma vez pela Slovakia, duas vezes pelo Oregon e uma vez pela Itália. O número de participantes tem crescido à taxa de 20% ao ano. O entusiasmo pelo Maratona tem sido crescente no mundo todo.

Vários clubes têm aderido ao Martona como uma oportunidade perfeita para competições internas, ou como base para desafios entre os clubes. Em alguns países, particularmente no Brasil, a competição interna é feroz.

Os vencedores mundiais do concurso em ambas classes recebem belas placas, e mais recentemente estão sendo premiados os vencedores nas bandas de 80 a 10 metros, bem como para os vencedores continentais para as categorias ilimitadas e para as modalidades.

Muitos DXers usam o Maratona como um desafio pessoal, dando pouca ou nenhuma atenção aos demais participantes, e simplesmente tentando melhorar seus desempenhos em relação aos anos anteriores.

O propósito deste artigo é dar melhorar a idéia do que se trata o Maratona. Se você imaginou que o progresso e sucesso no Maratona é muito parecido com reiniciar o DXCC você acertou. Excetue-se que não é necessário QSL e o concurso Maratonha se encerra ao final do ano e então recomeça tudo no ano seguinte.

O que é preciso para iniciar o Maratona? Primeiro, obviamente, é ler as regras, disponíveis no site http://www.dxmarathon.com

A seguir baixe o formulário de participação. Você pode usar a planilha para digitar os contatos diretamente, ou pode usar os relatórios dos programas de log que são compatíveis com o DX Marathon.

Às 00:00 do dia 01 de janeiro começa a festa! Comece trabalhando tantos países e zonas que puder! O primeiro dia do Ano Novo, em especial se as condições forem decentes, tende a ser um manicômio – um alegre manicômio. Pode ser bastante factível trabalhar mais de 50 países e acima de 30 zonas no primeiro dia. E todos na banda estão cheios de bons propósitos e muito amigos.

Nos primeiros dias do Ano Novo, uma boa triagem pode ser muito importante. As redes de spots mostram muitos países que você precisa se você tiver propagação; a questão é qual DX você irá trabalhar primeiro? Umas poucas regras de seleção ajudam muito. Em geral o primeiro critério é saber qual DX ou expedição não se repetirá durante o restante do ano. Aqui, eu me lembro do velho adágio: “A vida é incerta, como a primeiro a sobremesa!” O mesmo vale para trabalhar primeiro as expedições.

Após você ter trabalhado as expedições, o próximo passo deve ser trabalhar os países raros. Digamos, a banda está aberta para a Ásia ou Oceano Índico. Você escuta AP2NK mas 3B8CF também está chegando. Qual dos dois você vai trabalhar primeiro? Bem, se você passou muito tempo operando nos primeiros dias do ano, você deve saber que 3B8CF é praticamente um beacon nas bandas e, ao contrário, AP2NK só aparece ocasionalmente. Trabalhe o AP! Em qualquer caso, especialmente em Janeiro e Fevereiro, concentre seus esforços trabalhando os mais raros. Se você for americano, você deverá trabalhar vários países mais comuns facilmente durante os contestes ARRL Phone e CW.

À medida que as semanas e meses passam, esses conflitos se tornarão cada vez mais raros. Uma vez que você tiver 100 países trabalhados, se torna necessária a elaboração de uma lista de “precisa-se” e você ficar mais atento ao seu conteúdo. Igualmente, a sua lista de alarmes do seu software de log precisa estar corretamente configurada. Alguns operadores dependem exclusivamente dos seus programas de log, mas isto é também uma boa maneira de chegar atrás. O problema é como a língua inglesa – há muitas regras que levam ao desespero quem estiver tentando aprender inglês. E é isto o que acontece com as listas de alarme de DX. Prefixos especiais, sem mencionar os prefixos múltiplos, e mais e mais exceções – assim, uma lista de alarmes um tanto quanto simplista fará com que um DX que você precise possa passar despercebido.

Você deverá estudar cuidadosamente os boletins de DX para estar informado e procurando pelas expedições dos países que você precisa, informando esses prefixos no seu programa de alarmes. E, obviamente, passar mais tempo sintonizando as bandas você mesmo. Nem todos os DX raros são espotados! E uma vez espotados, se este for realmente raro, você vai ter que brigar para ir para o log. É muito mais prazeiroso ser a estação que acha o DX chamando geral e, após o QSO, coloca-lo no cluster – se o DX for interessante o pile-up se formará instantaneamente.

Com o passar do tempo, sua subida começa a ficar mais devagar, ficando cada vez menos e menos países novos para serem trabalhados. O concurso CQWW em outubro e novembro, tipicamente, trazem alguns novos e um breve período de excitação. Mas, não relaxe seus esforços – você precisa ficar ativo até o fim. Em vários anos, o contato que põe o vencedor final no topo foi trabalhado na última semana do ano!

A estratégia vencedora para o Maratona é simples – trabalhe tantos países e zonas que puder, o mais rapidamente que puder, e certifique-se que você fez tudo direito. Não se preocupe com a competição – preocupação é perda de tempo, a menos que esta o esporeie.

Quais habilidades são necessárias para ter sucesso no Maratona? Não são exatamente as mesmas que você necessita para ter sucesso num conteste de 48 horas. Por um único fato, a menos que você esteja participando em modalidade única, você precisar razoavelmente proficiente em todos as modalidades, e isto obviamente inclui ser competente num pile-up. Você precisa garimpar todas as informações acerca das expedições raras, usando internete, boletins de DX e informações escutadas nas bandas.

Os contestes de 48 horas raramente envolvem pile-ups splits; muitos pontos do Maratona advém de operações split. Em CW, nem todas as estações de DX operam em alta velocidade; alguns DX somente são encontrados operando cabeçotes ou vibros. Mais e mais países estão aparecendo em modos digitais; PSK, particularmente, oferecem estações que simplesmente não aparecem nos contestes. Muitas estações de DX não gostam de QSOs curtos em alta velocidade, preferindo um rítmo mais lento e certamente gostam de um bate-papo. Vários DX tendem a se esconder nas faixas, somente estando ativos quando as aberturas são limitadas além de operar em segmentos das bandas fora das costumeiras janelas de DX.

Uma grande estação de conteste com antenas empilhadas para várias bandas também seria o ideal para o Maratona – se esta estação igualmente dispuser de antenas para as bandas WARC. Assim como no DXCC as bandas WARC também contam. Para nós pobres mortais com antenas mais simples, ao fazer a escolha da estação para o Maratona, deveríamos optar por antenas mais altas do que as utilizadas para os concursos de 48 horas. Por que? Porque embora as antenas mais altas não permitem rates que antenas otimizadas para runnings, estas proporcionaram aberturas que as antenas mais baixas não conseguem. Mas, para tirar proveito das antenas altas, o operador precisa ter algum conhecimento das aberturas, especialmente os caminhos secundários onde ninguém está sintonizando. As antenas altas tendem a abrir e fechar a banda, sempre um benefício potencial para o participante do Maratona.

Isto nos leva a outra diferença. Em um conteste de 48 horas, o operador quer muito ser o primeiro QSO no log tão logo ele escute a estação desejada. Um operador dedicado do Maratona também gostaria muito de ser o primeiro no log – mas ele estará igulmente satisfeito se for o último do log de um país novo. No Maratona, sendo o primeiro do log de um país novo não é tão importante – o importante é estar no log!

E sobre as diferenças de equipamentos? O operador do Maratona certamente se beneficiará se tiver um receptor secundário no seu transceptor, algo não necessário num concurso de 48 horas. Um bom painel para modos digitais oferece um benefício adicional. Um acessório extremamente valioso para a classe Unlimited é um linear de aquecimento instantâneo. Outro item importante numa estação para o Maratona é um rotor automático. Por que estas ferramentas são tão úteis?

Um número grande de países para o Maratona virá ao seu conhecimento graças ao alarme vindo da rede de alarmes. Tão logo o alarme soe para o país novo, você terá essencialmente três minutos para conseguir o contato antes que a cavalaria chegues, com todos os DXers com seus lineares precisando de três minutos para aquecerem. Um time de corrida da fórmula Indy pode trocar 4 pneus, abastecer o carro, ajustar o chassis e devolvê-lo à pista em 9 segundos. Um quarterback da Liga Nacional de Futebol, pode conduzir seu time à vitória em menos de 1 minuto. Nas vizinhanças dealgumas cidades grandes profissionais treinados podem retirar o motor e o câmbio de um Corvette novo em apenas 90 segundos. E isto enquanto você está estacionado na rua.

Você, um operador proficiente do Maratona, deverá estar apto parra apontar a antena corretamente, trocar de bandas, sintonizar o linear – POR FAVOR numa frequência livre ao invés da frequência do DX – e estar pronto para chamar em menos de 30 segundos a partir do momento em que você entra no shack. Se você não puder, você precisar examinar as razões e fazer algo para corrigir. Não fique satisfeito até que consiga.

Ao final da sua campanha do ano, você ficará surpreso com o número de DX que você colocou no log dentro de três minutos a partir do alarme – e eu pessoalmente garanto que você estará mostrando os dentes de satisfação à medida que os pile-ups cresçam exponencialmente a cada minuto e você já estiver no log. Com a prática você ficará mais eficiente a cada vez que soar o alarme dos Três Minutos, fazendo o QSO cada vez mais e mais rápido.

Ao final de cada sessão de operação, considere qual a próxima estação de DX que você gostaria de ver no alarme. Talvez, por exemplo, uma estação do Pacífico, T30 às 02 horas da manhã de uma noite de verão. Deixe sua estação preparada para esta possibilidade – deixe a antena apontada para T30, o linear sintonizado na banda que você antecipadamente espera pelo spot. Mesmo que sejam uns poucos segundos economizados quando o alarme soar, isto fará uma diferença imensa.

Os contestes convencionais de 48 horas, como o ARRL e o CQWW, oferecem grandes chances de trabalhar alguns países rapidamente. Não há regra no Maratona para reduzir seus esforços nesses contestes, e naturalmente você poderá usar os QSOs desses concursos para o Maratona.

Como em outros concursos, vários participantes do Maratona têm erros nos seus dados o que reduzem seus scores finais, existem vários erros comuns. Muito participantes perdem uma ou mais zonas. Aqui, existem duas áreas potencialmente problemáticas – zonas 17, 18 e 19, especialmente depois que forma trocados os blocos dos indicativos da Sibéria e também as zonas 3, 4 e 5 dos USA e Canadá. Em ambos os casos, acreditar no software de log ou mesmo o indicativo não são suficientes para ter certeza da zona – apesar dos indicativos do Canadá o serem – você deve sempre verificar a localização de uma estação americana para a zona em questão. A zona 2 também é um problema para muitos participantes. Todos prefixos VO2 estão na zona 2. Uns poucos prefixos VE2 estão na zona 2, mas a maioria dos VE2 estão na zona 5. Alguns VY0 estão na zona 2 – mas outros não estão. Antes de submeter o log, verifique cuidadosamente as zonas – o juiz do concurso fará isso para você – mas uma vez que o seu log foi submetido você não poderá alterar as entradas erradas, mesmo que você tenha outros contatos corretos no log para substituir o erro.

Outro problema em submeter logs corretos está em assumir que o indicativo da estação espotada está correto – e nas mais das vezes isto simplesmente não é o caso. Você nunca deve contar com o spot para identificação – sempre verifiquei o indicativo você mesmo. Um problema em especial é o EZ, Turcomenistão. Vários operadores copiam erradamente como E7 os indicativos da Bósnia EZ. No presente momento, não existem operações válidas no Turcomenistão, apesar de várias estações requererem o contato.

Você deverá verificars os contatos requeridos para o Maratona. O E51 que você trabalhou foi South ou North Cook? Sempre existem alguns indicativos que são válidos mas não correspondem às práticas usuais. XWPA é um bom exemplo – uma estação legitimamente licenciada no Laos e ativa no ano passado – teve seu indicativo rejeitado por vários programas de log.

O ponto principal disto é estar certo de verificar tudo que for possível. Esteja seguro que o indicativo esteja corretamente logado. Certifique-se que o DX copiou seu indicativo corretamente. Assegure-se que sempre que cabível a estação de DX esteja onde você pensa que ela está. Poucas coisas são mais frustrantes do que descobrir que um QSO com o Maratona foi desconsiderado, custando um país ou uma zona quando dúzias de outros QSOs do seu log poderiam ser validados. A página do site do Maratona oferece diretrizes para lidar com estes problemas, e os participantes devem acessar o site regularmente para as informações mais recentes.

Várias expedições quando possível, oferecem log on line, dando a chance de confirmar que seu contato está no log, dando aos juizes do Maratana a chance de verificar a validade dos contatos em tais casos.

Deve ser óbvio que todos os esforços envidados para vencer o Maratona requerem um compromisso por parte do operador, e certamente também da sua família, assim como nos outros contestes. Ajuda bastante ser aposentado ou trabalhar em casa, mas alguns vencedores têm tido sucesso apesar da carga horária do trabalho convencional. Contudo, se você sofrer devido a um trabalho que o obrigue a ausência do shack por longas horas, você deveria considerar um esforço em banda única cujo perfil de propagação melhor se ajuste ao seu tempo disponível.

Para muitos operadores, um ano dedicado ao Maratona mostra-se ser uma das mais experiências mais prazerosas do hobby. Vencer – como em qualquer outro conteste – é estafante – e muito recompensador. E, se você adora operar – você não pode perder! Qualquer um que participe é garantido que vença – se não o primeiro lugar, pelo menos você terá horas e horas de excitação e emoções, do melhor do DX. E, permanecendo no rádio em bases regulares o fará certamente a manter e aprimorar suas habilidades operacionais, assim como os contestes de 48 horas e manter sua estação no pico da eficiência.

O dia primeiro de janeiro está chegando – acesse o site CQ DX Marathon, estude as regras, baixe a planilha e entre no baile!

POR W9KNI – BOB LOCHER – JULHO/2012

Atenção: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Radioamador.