O sistema RST de informação do sinal foi criado aproximadamente em 1934, como um método rápido de relatórios onde o R=Legibilidade (Readability em Ingles), o S=Força (Strength em Ingles) e T=Tom (Tone em Ingles) usado para CW.

Para contatos de voz apenas “R” e “S” são usados.

O “S” componente normalmente não é o mesmo que sua leitura S-Meter como a maioria dos S-medidores não são calibrados para acompanhar o Sistema RST.

O RST também é relatado em cartões QSL e devem ser preenchidos corretamente.

Muitas operações DX e estações de concurso utilizam a reportagem padrão de “599”. Esta é uma prática questionável, mas é usada na maioria das vezes em DX.

O sistema RST é o padrão adotado em comunicações, e tem sido utilizado por radioamadores no mundo inteiro por muitos anos e também é usada pelos militares com pequenas modificações em seus relatórios de transmissões. 

Estude as informações abaixo para ajudá-lo em seus contatos a fornecer reportagem precisas.

A escala para Legibilidade (R) vai de nota 1 a 5.

A escala para Intensidade (S) vai de nota 1 a 9.

A escala para Tonalidade  (T) vai de nota 1 a 9.


R = LEGIBILIDADE
1 – Ilegível
2 – Mal legível, palavras ocasionais distinguíveis
3 – Legível com dificuldade considerável
4 – Legível com praticamente nenhuma dificuldade
5 – Perfeitamente legível 

S = POTÊNCIA DO SINAL
1 – Sinais fracos, quase imperceptíveis
2 – Sinais muito fracos
3 – Sinais fracos
4 – Sinais aceitáveis
5 – Bons sinais
6 – Bastante bom sinal
7 – Sinais moderadamente forte
8 – Sinais fortes
9 – Sinais extremamente fortes

T = TOM
1 – Muito áspero e amplo, com muito ruido
2 – Com ruido.
3 – Transmissão melhorada mas ainda com ruido
4 – Traço de filtragem
5 – Traco de filtragem mas fortemente ondulação modulada
6 – Tom filtrado
7 – Perto de tom puro
8 – Perto tom perfeito, ligeiro vestígio de modulação
9 – Tom perfeito, sem vestígios de ondulação ou modulação de qualquer tipo.


Atenção: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Radioamador.